dez
15
2017

Dólar sobe e caminha para R$3,35 com temores sobre reforma

São Paulo – O dólar subia e caminhava para o patamar de 3,35 reais nesta quinta-feira, com o mercado voltando a ficar mais temeroso com o andamento da reforma da Previdência diante de sinais contraditórios dentro do governo sobre a agenda que será adotada para tirar a matéria do papel.

Às 11:59, o dólar avançava 0,65 por cento, a 3,3374 reais na venda, depois de atingir a máxima de 3,3472 reais no dia. O dólar futuro tinha valorização de cerca de 0,80 por cento.

“O mercado se mostra cético sobre a votação neste ano”, afirmou o operador de câmbio da Correparti Corretora Ricardo Gomes da Silva Filho.

Na véspera, o Palácio do Planalto, a equipe econômica e seus principais interlocutores no Congresso precisaram montar uma operação de redução de danos para tentar mostrar que ainda não há definição sobre a votação da reforma da Previdência, após o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ter dito no final da tarde, após o fechamento dos mercados, que a apreciaçãoda proposta ficaria para fevereiro de 2018.

No início da noite, a Secretaria de Comunicação da Presidência divulgou nota em que disse esperar a leitura do novo texto da reforma, apresentado pelo relator Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA), para esta quinta-feira no plenário da Câmara dos Deputados.

A reforma da Previdência é considerada essencial para colocar as contas públicas em ordem e o governo vem trabalhando para tentar colocá-la em votação na Câmara dos Deputados neste ano ainda.

O Banco Central vendeu o total de até 14 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de janeiro. Até agora, rolou o equivalente a 7 bilhões de dólares do total de 9,638 bilhões de dólares que vencem no mês que vem.

“Se a alta do dólar ganhar corpo e ir a 3,35 reais, acredito que o BC pode tomar providências para controlar a volatilidade. Se ele não atuar, vejo espaço para a moeda norte-americana subir ainda mais”, disse o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado.

No exterior, o dólar operava praticamente estável ante uma cesta de moedas depois que Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, manteve suas previsões econômicas.

 

Fonte: Exame

Deixe um comentário